Ciência sem Fronteiras 2017

Ciência sem Fronteiras 2017 – São 5 mil bolsas para pós-graduação!

Saiba tudo sobre o programa e as melhores oportunidades

Todos estudantes, independentemente do tipo de formação que possuem, sonham com uma oportunidade de estudar fora do país. A efetivação de um intercâmbio e a troca de conhecimentos e experiências com outros tipos de povos é muito valorizada no mercado brasileiro. Um dos programa de maior sucesso nos últimos anos nessa área é o Ciência sem Fronteiras 2017.

O CsF, como é conhecido o Ciência sem Fronteiras, é um programa que tem como intenção promover a expansão, consolidação e internacionalização da tecnologia e ciência, dos setores de inovação e da competitividade brasileira através do intercâmbio e mobilidade internacional.

http://www.sisutec.com.br

A ação surgiu através dos Ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e do Ministério da Educação (MEC), através das suas instituições de fomento (CNPq e Capes), e das Secretarias de Ensino Superior e de Ensino Tecnológico do MEC.

Depois de disponibilizar o acesso ao intercâmbio para milhares de brasileiros, o programa segue ajudando alunos de pós-graduação através de bolsas Ciências sem Fronteiras para que façam estágio no exterior com a intenção de manter contato constante com sistemas educacionais competitivos – sempre relacionados à inovação.

Outra intenção do projeto é atrair diversos pesquisadores do exterior que pretendem ficar no Brasil ou estabelecer parcerias com instituições nacionais ou pesquisadores de sua área – desde que essa faça parte das prioridades do Programa. Pesquisadores de empresas também podem, em alguns casos, buscar treinamento especializado no exterior através do programa.

Bolsas Ciências sem Fronteiras 2017

Serão oferecidas 5 mil bolsas Ciências sem Fronteiras 2017 para alunos pós-graduandos. Essa iniciativa vai de acordo com as intenções do MEC de fazer algumas mudanças em relação aos anos anteriores.

http://www.sisutec.com.br/Essa reformulação não significa exatamente o fim do Ciências sem Fronteiras já que serão oferecidas oportunidades para alunos de pós-graduação de várias áreas. Essas mudanças já haviam sido publicadas em julho de 2016 e os alunos de cursos de graduação não deverão ser mais atendidos pelo Ministério da Educação através do programa.

Ou seja, não é exatamente verdade a afirmação de que o MEC acaba com o Ciências sem Fronteiras. O que acontece é que a atual gestão do Ministério está pensando em novas formas de internacionalizar o ensino superior.

O que motivou essa mudança do MEC Ciências sem Fronteiras foi uma avaliação que mostra que o programa na modalidade de graduação gastou valores muitos altos para a manutenção de alunos fora do país. Apenas no ano de 2015, de acordo com esses dados, foram gastos R$ 3,5 bilhões para a manutenção do CsF. Valor igual foi gasto para o investimento em merenda escolar de cerca de 39 milhões de alunos da educação básica de todo o Brasil.



Seja um leitor VIP!


Receba nossas novidades em primeira mão


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *