Intercâmbio na Irlanda

Novas regras para intercâmbio na Irlanda a partir de 2016

Fazer um intercâmbio de estudo ou trabalho é uma experiência incomparável na vida de qualquer jovem brasileiro. A opção de realizar essa experiência enriquecedora na Irlanda passou por algumas mudanças nos requisitos para a liberação do visto de estudo e trabalho no país em 2016. Entenda as novas regras e planeje seu intercâmbio para a Irlanda da melhor forma possível.

https://www.sisutec.com.br

Ponto de vista do Governo Irlandês

Visando melhorar a qualidade do ensino no país, porém sem deixar de proteger os alunos estrangeiros, algumas novidades foram implementadas durante o processo para conseguir o tão sonhado visto.

Saiba o que mudou nas regras:

Entre as principais mudanças está o período de permanência no país no sistema de estudo + trabalho. Antes, o visto para estudo permitia uma estadia de 6 meses de curso + 6 meses de férias, no entanto, os documentos emitidos desde janeiro deste ano, liberam 6 meses de curso com direito a apenas 2 meses de férias.

Também, antigamente o estudante poderia escolher qualquer escola no país, mas agora, de acordo com as novas regras, os alunos internacionais podem optar apenas por escolas listadas como aptas pela ILEP (International Leaders in Education Program). É possível conferir no site da ILEP uma lista de escolas que possuem o direito de receber alunos internacionais.

Outra mudança importante é quanto ao visto de trabalho. Anteriormente, o estudante podia trabalhar até 20 horas semanais concomitantemente ao curso, enquanto que nas férias a jornada poderia aumentar para até 40 horas semanais. Agora, além de as férias durarem apenas 2 meses, para se trabalhar 40 horas semanais durante esse período, elas devem cair nos meses de maio, junho, julho, agosto ou entre 15 de dezembro e 15 de janeiro.

Como conseguir o visto

Falamos sobre as duas mudanças mais impactantes na regulamentação do intercâmbio de estudo + trabalho, mas não falamos do restante do processo de retirada do visto. Além da documentação pessoal necessária, um detalhe especial pode fazer a diferença entre conseguir ou não ir para a Irlanda: é necessário levar uma quantia mínima de 3.000 euros para comprovar ao governo que tem condições de se manter no país. Vale ressaltar que este valor será retido por até 1 mês, então é importante programar-se para levar ainda mais recursos ou garantir estadia pelo primeiro mês.



Seja um leitor VIP!


Receba nossas novidades em primeira mão


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *